quarta-feira, 20 de agosto de 2008

É possível levar isso a sério?

Estava mostrando pro pessoal aqui da Hexa alguns filmes ultratrashes dos anos 80. Minha busca era por uma coisa bizarra chamada Videodrome (1981). Encontrei no Youtube, mas a decepção é que o filme era menos impactante do que eu lembrava quando criança. Mas como não existe bola perdida no Youtube, bastou uma pesquisa aqui, outra ali e bimba! Encontrei o que talvez seja a coisa mais idiota já produzida no cinema. Digo a mais idiota, porque se você analisar o conteúdo, verá que os produtores queriam ser levados a sério de verdade. Confira o trailer de Knightriders, estrelado por ninguém menos que Ed Harris.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Borboleta Technicolor



Foto tirada no tal do Caminito. Um cortiço POP contruído com um monte de restos dos navios do porto e pintado de múltiplas cores. Um lugar bacana, repleto daquilo que o bairro têm de mais impressionante: um exército de achacadores profissionais de turistas. Todos te param, todos farejam o seu olhar forasteiro, oferecendo desde Bife de Chorizo no restaurante onde trabalham, até fotos com "dancarinas" de tango no meio da rua.
Essa rua dá acesso ao Caminito. As portas e fachadas são incríveis tanto no centro quanto nos bairros, mas a minha modelo só tem no Brasil.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

City Tour? Don't cry for me, please.

Buenos Aires – Dia 02 (quinta-feira, 7 de agosto)

Hoje foi dia de City Tour na capital portenha. Todo mundo sabe que esse tipo de programa é uma roubada, mas aposto que você não sabe isso: Buenos Aires é a capital da Argentina, mas não é a capital da província de Buenos Aires. Viu? Esse tipo de inutilidade se aprende em City Tours! E claro, também se aprende a capital de verdade da tal província. Mas essa eu equeci. Aliás, a maioria das coisas ditas em City Tours foi feita para esquecer.

Centro, Obelisco, San Telmo, República da Boca, Bombonera, Caminito, Puerto Madero, Recoleta e Palermo. Tudo isso a toque de caixa. Mas valeu.

Ficamos na Recoleta. Para caminhar, conhecer e almoçar. Lá existe o tal restaurante mais antigo da cidade: o La Biela. Vale a pena passar pra ver pois fica numa esquina com um gigantesca árvore igualmente antiga. E linda. Mas não aconselho comer por lá, é caro pelo que se oferece.

O melhor veio a noite. Show de tango na Esquina Carlos Gardel: Nesse ponto os argentinos dão banho. Eles tem Tango, a gente tem Samba. E ponto. Eu achava que o programa não ia me impressionar, e é por isso que eu recomendo. Porque eu gostei tanto que voltaria no dia seguinte. Mas quem me conhece dá um desconto pois sabe que eu sou maníaco compulsivo.


video

Vai aí um vídeo que eu fiz no dia.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Cucarachas Brasileñas – Humilhação na câmara de Gás


Buenos Aires – Dia 01 (quarta-feira, 6 de agosto)

Estavamos nós no ar, vôo Gol 7458, ainda em espaço aéreo brasileiro. A distância do país do casalzinho sinistro Néstor e Cristina não nos poupou da primeira humilhação desferida pelos queridos hermanos. Uma norma do governo argentino diz que todo o vôo internacional deve passar por um procedimento de “limpeza” das impurezas que os passageiros possam trazer do local de partida. Pois bem, o comissário falou em detetização. Você leu direito. Detetização de seres-humanos em pleno ar. Foi aquele TSSSSSSS pra todo o lado, com a garantia da equipe da Gol de que o gás era inofensivo. Certo! Eu lembro de uma cena da Lista de Schindler em que um banho coletivo, aparentemente também inofensivo, virou um terrorismo sem limites. Inofensivo o caralho. E a agressão ao espírito? Essas sequelas não contam?

Depois do susto, a coisa rolou que foi uma beleza. Chegada em Buenos Aires, hotelzinho bom pra caramba, uma caminhada sem o auxílio do Google Maps, o que acabou um pouco conturbado, e uma sessão de compras na Rua Florida, que de florida não tem “mierda ninguna”. Tudo ótimo mesmo, só que de onde eu venho a corneta é livre, então lá vai: o centro daqui é um inferno como o de Porto Alegre... e sujo também. Mais sujo aliás. As vezes até dá uma agonia, e a gente fica na torcida para que os Argentinos nos detetizem de novo antes de nos mandarem de volta.

Como eu disse antes, a corneta es libre. A viagem está sendo perfeita, mas das maravilhas de Buenos Aires os outros blogs estão cheios.